Hidrossolubilidade do Papel higiênico

24 de fevereiro de 2017 | Requinte 3

Papeis feitos com 100% de Fibras Virgens

As fibras dos nossos papeis higiênicos se desintegram por completo no contato com a água sem obstruir a rede de esgoto.
Isso ocorre em virtude ao moderno processo de fabricação e as características de qualidades intrínsecas do papel, tais como:

Composição fibrosa do papel: elas são constituídas com 100% fibras virgens;

• Método de fabricação: princípios mecânicos de ligação entre as fibras;
• Elementos químicos: baixa aditivação tendo como elementos amido catiônico a base de fécula de mandioca ou batata e corantes em dosagens mínimas, apenas para matização.

A avaliação de desintegração do papel é de fácil visualização e prática.

Depositando-se algumas folhas de papéis em um recipiente transparente com capacidade de 1 litro de água e promovendo a agitação da mistura, detecta-se, a plena desintegração da amostra do papel.

Este ensaio reproduz o fenômeno que ocorre quando lançamos o nosso papel
higiênico no vaso sanitário e acionamos a descarga.

Inversamente a este ensaio, realizado com papéis de fibras recicladas, prova a insolubilidade da folha, observando grandes fragmentos ou até a preservação total da folha que causam entupimentos na rede sanitária.

CONDIÇÕES PARA DESCARTE DO PAPEL NO VASO SANITÁRIO

• Tubulações e redes de esgotos em perfeito estado. A rede não pode ter pontos de estrangulamento ou paralisação do fluxo.

• Quantidade correta de descarte. Observar a conscientização do usuário em relação ao uso do banheiro. Deve ser
evitado de todo modo o excesso de papel (acima de 10 folhas) por vez.

Observação: é expressamente proibido o lançamento de produtos como: toalhas de papel,
guardanapos, lenços de papel, entre outros. Estes contém em sua formulação química resina
para resistência à umidade que tem por finalidade preservar a folha inteira.